quinta-feira, dezembro 15, 2005

Lágrimas à chuva



As lágrimas e a chuva confundem-se em mim
Na minha alma desnuda
Nesta noite de inverno

Despi-me de mim e do meu ser
E entreguei-me à solidão do mar revolto
O meu corpo desnudo estremece a cada onda
A minha saudade é lavada por cada gota de chuva

Choro, e as lágrimas
Confundem-se com a chuva que cai
Com os salpicos de mar
Com a dor de te amar
Com a solidão de te querer

Dispo-me do sonho
Visto a desistência da ilusão
Dispo-me do meu querer
Visto a permanência da solidão
Entrego-me a mim e ao meu mar
Ali onde um dia me entreguei a ti e ao teu amar

Onde juntos vimos o nascer do sol
Pisámos a areia fria e solta
Sentimos a água gelada e revolta
Numa madrugada de verão
De mãos dadas, olhos nos olhos plenos de paixão

Olhando o caminho por onde passámos
Procuro agora os trilhos do nosso andar
Mas descubro que foram levados pelas ondas do mar
Como o foram as emoções e vontades partilhadas
Naquela madrugada

11 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Quero-te como o mar revolto

Para nele saciar o corpo

Para nele saciar este desejo imenso.

O mar, eu sei, é pequeno

Para tamanha paixão

Para tanto sofrimento

Quando estás longe de mim.

O mar é só uma parte

Deste sublime amor

Em que nos envolvemos.

7:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Está a saber bem mergulhar neste mar. Ainda ando na fase das descobertas, é certo, mas ... so far so good!
As lágrimas secam-se noutros blogs!
Beijo

9:30 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Profundo como só tu consegues atingir. Sem lugar a lugares comuns, fico de nó na garganta...beijos

10:58 da manhã  
Blogger GNM said...

Escreves muitíssimo bem!
Tens o teu próprio estilo, e isso é muito bom!
Este teu poema é muito sentido e intimista...
Os meus comentários seriam redundantes!

Diverte-te e sorri!

P.S: E agora uma reclamação :) A word verification irrita-me...

2:34 da tarde  
Blogger Anakin said...

Há mais madrugadas...
Beijo

3:14 da tarde  
Blogger butterfly said...

Lindo,sem dúvida....Profundo...revi-me
nas tuas palavras...Quantas não são as vezes que deixo a minha saudade ser lavada pelas gotas da chuva...

Em relação á imagem do meu blog,sinceramente já não me recordo onde a arranjei,já a tinha guardada no computador há algum tempo...

Beijinhos!!

3:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Foi um prazer receber a tua visita no Mar Adentro, também fiquei encantado com a forma como escreves. Parabéns.

9:32 da tarde  
Blogger Clitie said...

Também refazes os caminhos na esperança de encontrar traços do que já não existe? Faço todos os dias o mesmo caminho...

Bjinho

10:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não foram levados pelo mar, estão bem dentro de ti, dentro do teu coração! Bjinhos.

11:29 da tarde  
Blogger Carla said...

A beleza dos sentimentos retratada nas palavras...
Lindo!
Bjx

12:11 da manhã  
Blogger lena said...

os sentimentos brotam em cada palavra tua e é com emoção que te leio

como escreves bem,
como te envolves nessas gotas de chuva fria, na madrugada de um verão.

tanta emoção partilhada

beijinhos meus

lena

7:08 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home