terça-feira, dezembro 13, 2005

Pó de estrelas



De repente lembrei-me de ti
Tu que foste tanto para mim
De quem sinto uma saudade maior que a vida
Voltaste a aparecer no meu pensamento

Tu gostavas tanto da vida
Do mar e da lua
Da solidão partilhada a dois
Da arte e de pintar
Da poesia e de dançar
De partilhar sonhos e ilusões


E de repente
Quanto mais atrás do teu eu tu ías
Quanto mais perto do final da busca estavas
Quanto mais perto da felicidade te encontravas
Quanto mais meu eras
A vida acabou contigo
Num fim de tarde quente de Dezembro

Nesse dia uma parte de mim partiu contigo
Uma parte da minha alma gelou eternamente
Um pedaço do meu ser perdeu-se para sempre

E uma lágrima solitária contendo o meu amor
Caiu no mar que tanto gostavas de olhar

Tantos anos procurei uma fotografia tua
Que não a cravada na minha alma
E hoje depois de tantos anos
Ela veio parar do nada às minhas mãos
E revivi o teu sorriso aberto
O teu rosto moreno lindo que amava de paixão

Olhei-te e tomou conta de mim
Uma nostalgia imensa
Uma melancolia infinita
Uma saudade eterna e inesgotável

E fui à varanda olhar o céu
Para ver se a estrela que tu és
Ainda ali brilha para mim

E nela vi um brilho mais forte
Um caminho de pó de estrelas
Vagueando ao meu encontro

Estendi a mão para ele
E senti nesse instante
Meu amor perdido

Novamente na minha alma
Toda a dor da solidão
Da morte da paixão
Sem chance de ser vivida

E senti meu amor partido
O calor do teu ser
O brilho da tua alma
O sonho da tua vida
Inundando-me a mim

Senti-te vivo e meu novamente

Adeus meu lindo
Hoje fizeste-me feliz
Mais uma vez

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"Ama-me quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso"
(Provérbio Chinês)

Mãos que se tocam,
dedos que se procuram...
braços que enlaçam
corpos que se reconhecem...
línguas famintas,
bocas que exploram caminhos...
Sinto o teu corpo no meu,
a tua pele que roça a minha.
Somos um só, num momento...

10:47 da tarde  
Blogger lena said...

deixas-me sem palavras

tenho a certeza que todos os dias uma estrela brilha mais para ti

beijinhos

lena

11:23 da tarde  
Blogger Carla said...

Hj fizeste-me chorar ao ler o teu poema, eis a força de amar...para além do tempo, para além da partida, a estrela brilha...
Bjx

12:21 da manhã  
Blogger Francis said...

Um poema muito sentido.
Recebe um sincero abraço e nunca (nunca) pares de brilhar...

4:24 da tarde  
Blogger AS said...

Pudera hoje ter
Uma partícula dessa estrela
Quero tê-la!
Apenas eu.
Eu, que adormeço só
Quando a madrugada
Despe a capa sombria
E me deixa ver esse astral pó
Com toda a claridade que anuncia...


Para ti com um beijo!

7:46 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

LINDO! Não me deixaste correr uma lágrima, mas sim um mar delas. Que bonitas palavras, que bonito sentimento, que dor enorme! Tal como a sua estrela brilha lá no alto, nunca deixes a tua esmorecer, junta-a com a dele e brilhem... juntos no coração... para sempre. Um grande beijinho.

10:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Nunca perdemos as pessoas que realmente amamos...Beijo com carinho...

12:24 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home