segunda-feira, dezembro 19, 2005

Pus a mesa



Pus a mesa para dois
A preceito como deve ser
Tudo a condizer

A toalha que mais gostas
Os teus talheres preferidos
O copo de vinho tinto
O guardanapo dobrado em linho fino

O arranjo de orquídeas no centro
Orquídeas brancas e puras
Orquídeas vermelhas e misteriosas
Numa fusão perfeita de ideias e intenções

No forno a tua comida preferida
Um aroma de carinho
Por toda a casa
Um toque de meiguice
Um tratar bem quem se ama

No ar pairava o odor sensual
Da essência de Ylang Ylang
A tua preferida
Aquela que te desperta os sentidos

Em mim pairava o cheiro
Do Chanel Allure
Aquele que te tira do sério
Que te faz sonhar desejos
E realizar vontades

E pairava em mim a nostalgia de ti
Quando à mesa posta para dois
Me sentei só
E só jantei
Na companhia das memórias e da saudade
De ti

10 Comments:

Blogger Eu, nos dias de hoje said...

Uma mesa posta para dois, e termina só com Um :(
nem em época Natalicia???
Um beijão e boa semana.
Já agora bom natal, amiga;)

9:34 da manhã  
Blogger Paulo Silva said...

UM SANTO E FELIZ NATAL
UM ANO NOVO CHEIO DE COISAS BOAS.

11:47 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Apesar do final...o teu post é absolutamente envolvente. Dei por mim a imaginar o ambiente. Quantas vezes já comi ou adormeci com o sabor da saudade na boca. Enfim ** Se não me for possivel voltar esta semana, desejo que esta quadra (se a comemoras) corra bem com paz e harmonia no teu coração. Beijo n´oteudoceolhar **

1:25 da tarde  
Blogger Francis said...

É nesta altura do ano que sentimos mais saudades daqueles que nos estão longe.
Desejo-te toda a felicidade do mundo. Não apenas por ser Natal, mas também por... seres! :-)

2:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É triste uma mesa para um! O poema está lindo, mas está triste. Força! Bjinhos.

3:09 da tarde  
Blogger Montenegro said...

Vim só dar um olá, para não me acusares de não vir cá... :P

Bjs.

3:34 da tarde  
Blogger GNM said...

: (

Está muito bem escrito. O final é tocante!

Cara amiga, espero que seja só fingimento poetico!

Um beijinho e um sorriso!

3:39 da tarde  
Blogger AS said...

Nunca esqueças que quanto maior for a espera, mais intenso será o momento do reencontro...

Beijos

3:09 da tarde  
Blogger Que Bem Cheira A Maresia said...

Bolas Miga, este é bem forte, tão forte que nem ouso falar muito dele, até porque tu sabes bem o quanto sinto o sentido do mesmo. Mas apetece-me lembrar aqui um poema não menos forte que este, escrito pela minha Grande parceira, Mar Azul, que juntando a este devem ter sido das coisas que mais me abalaram os interiores, aqui vai:

Repasto,Pasto

Que belo repasto preparei!
Um banquete soberbo.
Um mesa com duas cadeiras.

Que bom vinho comprei!
Duas velas a alumiar
Miosótis no centro.
A minha carne a assar
eu a fazer de recheio.

Que bela noite de borga!
Que olhos tão inchados!
O banquete foi soberbo
Não teve
Convidados.
Trinquei-me com satisfação
Lambuzei-me com as entranhas.
O vinho escorreu,
Salguei-me com lágrimas minhas
Acabadas de colher.
Delicioso!
Arrepelei os cabelos,
Na travessa a enfeitar.
Escorreguei na cadeira,
Baqueei de encontro ao chão,
Arrotei de contentamento,
Procurei a tua mão,
Mas já não te vi chegar.

Feliz Natal e que 2006 seja mensageiro do que mais desejares.

Beijo grande da Lina

4:30 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Bolas!!!! Fiquei sem respirar!

Guarda essa mesa
composta para dois
pois
se a chama acesa
da vela que a enfeita
de certeza que espreita
a visita que voltará
deverá
ficar assim
se queres o meu parecer
tudo o que pode morrer
terá, acredita em mim,
um novo renascer.
Um beijinho e desejos de boas festas!

7:47 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home