quarta-feira, janeiro 04, 2006

A chuva e tu













A chuva bate na janela
O vento sussura-me ao ouvido
O teu nome
Num gemido inquietante

Procuro isolar o pensamento
Tirar a tua imagem de mim
Expulsar o som da tua voz
Que vive no meu ser
Fechar os sentidos ao teu cheiro
Ao calor do teu corpo
À intensidade do teu toque
À profundidade
Da cor e da solidão
Nos teus olhos castanhos

Saio para a rua e para a chuva
Deixo-a cair em mim gelada
E ando sem rumo e sem fim
O vento forte bate em mim
E lembra-me a tempestade do teu desejo
A intensidade da tua vontade
A crueldade do teu abandono

Ando só pela cidade
Nesta madrugada fria e bela
Ando só com a saudade
De te ter novamente

Sento-me à beira mar
Ali onde me levaste
Ali onde me beijaste
Ali onde me quiseste
E deixo a chuva cair
E deixo o vento gemer
Apoio a cabeça nos braços
E deixo o meu pensamento voar
De encontro a ti....

11 Comments:

Blogger Carla said...

Cada vez sabe melhor passar por aki e perder-me em palavras belas como estas...

Bjx

9:55 da tarde  
Blogger Que Bem Cheira A Maresia said...

Esta música mistura-se nas tuas palavras e nas cores do espaço e torna-o num ambiente sublime.

Beijokas gordas, demorei, mas chegei :)

9:45 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Excelente ***** fico por aqui voando nestas palavras embebidas em notas de encanto. Beijinho

12:56 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

a chuva,,,,as vezes acolhedoramente calma, outras vezes avassaladoramente deprimente

beijos****

1:52 da tarde  
Blogger AS said...

Um poema intenso, onde o amor se sobrepõe a todas as emoções em lágrimas de chuva que te molham a alma...

Gostaria de amanhã, quando de novo nascer o sol ver um sorriso teu... simplesmente!

Um beijo

5:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Isso pareceu-me tão familiar...reencontrar sitios tão próximos e voar para bem longe deles...ou será para tão próximo? bjs Numenesse

5:36 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Absolutamente fabuloso, Amei o post de hoje... Pareçe-me que já vi e senti toda essa atmosfera de solidão, saudade de dúvida de procura ... Beijo **

7:03 da tarde  
Blogger Paulo Silva said...

A chuva faz-nos recordar paixões
e trz-nos inspiração para as descrevermos.
Lindo como sempre

10:53 da tarde  
Blogger marco said...

olha aki chove neste preciso momento..e com esta musikinha..ui

11:28 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um absolutamente lindo. ;)

1:02 da tarde  
Blogger ¦☆¦Jøhη¦☆¦ said...

O que leio neste poema... é algo que eu também procuro... isolar, tirar a imagem de uma certa pessoa de dentro de mim... confesso que não tenho tido muito sucesso... por vezes gosto de andar só, perdido em pensamentos, mas verdade seja dita... por muito que me perca, ela acaba sempre por me encontrar...

Um beijinho

João.

8:31 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home