segunda-feira, fevereiro 13, 2006

A cadeira














Vês a cadeira solitária no meio da sala vazia?
Um dia já foram duas uma ao lado da outra
Como nós

Hoje a cadeira está só
No meio de uma sala vazia e fria
E eu vazia e só
Cansei-me de esperar por ti
E nunca te ver chegar

Olho a cadeira vazia de ti
A sala oca e sem sentido
E lembro-me de gargalhadas soltas
Momentos partilhados
Silêncios cumplices
Noites estreladas
Jantares a dois
Noites de amor intenso e entregue
Partilhas e sentidos e desejos

Lembro-me com nostalgia
Uma sombra de melancolia
Um mundo de tristeza
Um mar de saudade

Hoje vou deitar fora a cadeira da ilusão
E sentar-me na cadeira da esperança
Que não espera por ti
E adivinha outro amor chegar

16 Comments:

Blogger Andorinha said...

Boa miúda!
O poema é lindíssimo e o andar pra frente mais bonito ainda!
Beijinhos grandes!

11:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Cabeça erguida e os olhos postos no futuro...

Bjokas

3:28 da tarde  
Blogger Francis said...

Não te resignes a essa cadeira, rapariga! :-)
Um beijo!!!

4:18 da tarde  
Blogger Anjo said...

Uma sugestão...agora q está tanto frio!!Que tal queimar a cadeira?!!
Força!!
Beijinho grande

6:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É dificil deixar de amar, apenas com a troca da cadeira...vais olhar a sala oca e lembrar-te-ás sempre dela. mas não deixes de tirar os olhos do horizonte...um novo amor se sente no ar! Beijo meu

6:36 da tarde  
Blogger Que Bem Cheira A Maresia said...

Isso, não vale a pena viver do passado, o passado é quase sp um fardo amargurado :)

Beijokas da Lina

8:21 da tarde  
Blogger João C. Santos said...

que não espera por ti...nos seus pés se sente...
na longa espera de viver outro amor se alcança...

1:55 da tarde  
Blogger lena said...

lindo o teu poema, como todos, doce menina,

tenta partilhar essa cadeira, para que na sala não sintas a nostalgia e a ilusão, pede à esperança que se sente lá, para sentires de novo a sala de momentos bem partilhados

beijinhos muitos para ti

lena

10:07 da tarde  
Blogger GNM said...

Muita emoção nessas palavras...
Gosto de te ler!

Fica bem e tenta sorrir!

1:29 da manhã  
Blogger Eu, nos dias de hoje said...

de facto, emotivo...Mas sabes que antes só...

Beijos

1:51 da tarde  
Blogger Å®t Øf £övë said...

Muito bonita e interessante esta tua analogia com a cadeira.
Gostei.
Continuação de boa semana.

6:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Fazes tu muito bem! Há que seguir em frente, que abraçar a vida, nunca desistir nem parar! Bjocas.

10:56 da manhã  
Blogger Fernanda said...

Há mesmo que seguir em frente e deixar de olhar o passado com nostalgia!
Vai em frente!
~º(",)º~
Fernanda

11:47 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

"Hoje vou deitar fora a cadeira da ilusão
E sentar-me na cadeira da esperança
Que não espera por ti
E adivinha outro amor chegar"

Também pensei que conseguiria fazer isso mas não tá a ser nada fácil...

O texto tá excelente e a música torna o momento ainda mais maravilhoso!

Beijo muito grande, linda!

7:15 da tarde  
Blogger Carla said...

Sei que ao passar por aqui sempre encontrarei beleza...
Bjx

10:58 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sempre que necessário, ter a coragem de mudar a decoração da alma. Usar como cor predominante o verde...sempre! Bom trabalho! Beijos

9:33 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home