segunda-feira, abril 03, 2006

Deriva










Um barco solitário á deriva
Assim sou eu
Num mar calmo e plano
A tempestade só existe em mim
Olho em volta e a solidão impera
Olho para mim e não me vejo
Sou sombra e inexistência
Sou passado que já não volta
Com medo de olhar para o futuro

Nesse barco parado à luz da lua
Tento construir o meu eu
Tento juntar os meus pedaços soltos
Tento recuperar a minha alma

No barco ao sabor do mar flutuando
Em direcção ao destino incerto
Entrego o que sou
Recupero o que perdi
Esqueço o que pedi
E procuro encontrar a vida

No barco...sob a luz da lua
Olho o mar plano e dourado
E nele reflectido
Estás tu
Sempre tu
E no meio desta insanidade
Resta-me a esperança de um reencontro
Num destino não marcado
Escolhido pela força do que quero
Pela vontade do que sinto

E por isso meu amor perdido
Neste barco à deriva
Sob a luz da lua
Do nosso mar
Espero por ti
Hoje
Amanhã
Eternamente

24 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Um momento gostoso... e tudo isso é sentir!
É preciso é sentir...
O teu blog está muito acolhedor, cheguei aqui por portas travessas.
A musica é linda gosto muito, fica aqui muito bem.
Beijo, até outro momento...

11:10 da manhã  
Blogger Night said...

Lindas as tuas palavras, a escolha musical fez-me perder nas tuas palavras, beijinhos*

3:43 da tarde  
Blogger Eu, nos dias de hoje said...

Tu tens um excelente gosto amiga.

Como tens estado, ultimamente desapareces e deixas de partilhar estes bons momentos com a malta:-)

Vai dando noticias. Beijos

4:00 da tarde  
Blogger Miriam5 said...

Quantas e quantas vezes a quietude exterior contrasta com o meu turbilhão...chego a perguntar-me como é possível que não destrua tamanha calmia
Beijinho

6:26 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Dalila
Já nessas águas estagnei... urge megulhar a mão e, com pequenos gestos, fazer mudar a corrente para que o barco oscile noutra direcção. O que vamos encontrar ninguém sabe, faz parte do mistério e do atractivo de viver.
Um beijo
Daniel

2:45 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Amar é libertar, é deixar voar, é deixar correr, é sentir saudade, é esperar o regresso...serenamente...
Beijos Mágicos

3:15 da tarde  
Blogger mixtu said...

um barco... no futuro... ancorado?
jinhos

6:05 da tarde  
Blogger lena said...

estes sentires, misturados nesta bela música encantam-me e deixam-me a sonhar


a espera pode ser longa, mas quando chega o momento da chegada tudo fica diferente doce menina

beijinhos meus

lena

6:46 da tarde  
Blogger Isa e Luis said...

Deleito-me com as tuas palavras. A musica é linda.

Beijinhos

Isa

8:23 da tarde  
Blogger Carla said...

Sou barco à deriva,
navego ao sabor da maré...

Gostei muito :)
Bjx

10:24 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Que bonito poema. A espera do eterno amor... lindo! Bjocas e bom fim de semana.

1:39 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Também sou assim...
...à deriva, num mar calmo e plano, onde turbilhão só encontro dentro dos meus pensamentos nunca satisfeitos, sempre insaciáveis e ávidos de curiosidades mil...
É o tempo em que paramos para reflectir o que fomos, o que fizemos e o que desejamos fazer... Ver reflectida a nossa imagem...Limar as nossas arestas, guardar as coisas boas que vivemos e arrumar de uma vez por todas as menos boas! Daí a construção do eu... A montagem das peças do puzzle, a reconstrução da nossa vida e das nossas memórias... Porque vale sempre a pena viver e avançar com tudo o que de bom a vida nos vai dando!
A pausa para essa reconstrução é benéfica e necessária, para encontar o que realmente queremos da vida...
Muitas vezes é encontrarmo-nos somente a nós, a nossa sombra projectada, o nosso reflexo e traze-lo de novo ao corpo, amando-nos todos os dias e cada vez mais, para sempre!
Não é fácil ... Vai sendo possível!
Muita força e beijinhos

11:51 da manhã  
Blogger AS said...

Deixa que os ventos decidam o rumo certo!...

Beijosss

7:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"No barco...sob a luz da lua
Olho o mar plano e dourado
E nele reflectido
Estás tu
Sempre tu"

poissssss é sempre lá que o vejo também, é sempre ao mar que recorro qdo as saudades dele se intensificam, etc...

"Sob a luz da lua
Do nosso mar
Espero por ti
Hoje
Amanhã
Eternamente"

faço-te companhia na espera, posso?

Mais um maravilhoso texto, mais uma música à medida. Parabéns...

Deixo-te um beijo muito, muito grande e um abraço bem forte! Boa semana!

1:53 da manhã  
Blogger Francis said...

Bonito. Depois de algum tempo parado, faz-me bem passar aqui :-)
Beijinhos!

1:35 da tarde  
Blogger Luís Miguel said...

E aqui se "Deriva".. por um hoje, um amanhã, por uma letra, um sentimento, por um todo que efectivamente não deriva pois é bem real e concreto.
Gostei muito!
Beijinho!

11:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Vim te deixar um Beijo de Boa Pascoa, é sempre delicioso passar por aqui. Tenho mesmo que te linkar um dia destes...vai ter que ser...Beijo Bom querida! Princesa

12:11 da tarde  
Blogger Carla said...

Já tinha comentado este post, no entanto não podia passar por aqui sem deixar votos de uma Santa e Feliz Páscoa.
Bjx e bom fim de semana

4:36 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Boa Páscoa é o que desejo minha linda!!!

Beijocas enormes e abraço apertadinho!

2:19 da manhã  
Blogger ¦☆¦Jøhη¦☆¦ said...

Como eu me identifico com este poema! Já escrevi alguns onde utilizo este simbolismo do barco à deriva no mar.

Um abraço, João

11:36 da tarde  
Blogger pensamentos said...

Hoje é dia de festa nos "meus pensamentos", passa lá, porque também fazes parte dessa festa...

beijo.

8:08 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A deriva sempre tem um fim...cabe a nós escolher a duração da travessia! A luz existe e está à nossa espera...Beijos querida

11:19 da manhã  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Gostei muito.Fez me recordar muitas coisas boas.obrigada

2:43 da tarde  
Blogger Patrícia said...

Perfeito mesmo.
Tens bastante talento,Parabens :)

11:27 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home